Menu Horizontal

quarta-feira, 15 de março de 2017

Amor e razão dentro do Universo



Questão de sobrevivência

Mesmo os animais considerados os mais inferiores têm bastante aguçado o instinto de sobrevivência. Toda a vez que sentem haver um perigo a ameaçar-lhes a espécie, procuram meios de garantir a continuação da vida. Os animais evoluídos chegam a parecer inteligentes diante do que fazem para sobreviver.  

O homem civilizado, contudo, parece haver esquecido este instinto. Ao que tudo leva a crer, está agindo de modo contrário. Procura destruir o que possa garantir a sua sobrevivência e tudo em nome de um progresso absurdo, que destrói a tranquilidade e a saúde da coletividade. 

Houve na verdade, uma distorção do conceito de progresso. Somente é válido o que melhora as condições de vida do homem, o que torna mais digna a Humanidade, e isso justamente é o que não tem acontecido. 

A industrialização exagerada, os grandes aglomerados humanos trazem problemas de ordem social, impedindo que as pessoas desenvolvam o mais nobre de seus sentimentos, a fraternidade, o amor e a fé em Deus. 

O homem não pode esquecer-se de que faz parte de uma espécie e sua sobrevivência depende da sobrevivência da sua espécie. 

Um progresso verdadeiro, inteligente e racional, é de que a Humanidade necessita. Quando realmente for válida a verdade de que o homem deve usar o progresso e não ser usado por ele, o homem estará de fato conscientizado. 

"Esse amor e essa fé em Deus, tão necessários, não provém de uma religião específica, vem da razão, da conscientização geral. O amor natural que vem do coração." 

Marco Okuma



"Não existe religião que seja capaz de juntar todas as estrelas, porque se isto acontecesse, o Universo se tornaria um gigantesco espaço vazio e perderia a sua razão de existir. Cada estrela - e cada homem - tem seu espaço e suas características especiais. Existem estrelas verdes, amarelas, azuis, brancas, existem cometas, meteoros e meteoritos, nebulosas e anéis. Aquilo que daqui de baixo parece uma porção de pontinhos iguais, na verdade são milhões de coisas diferentes, espalhadas por um espaço além da compreensão humana." 



Texto: trecho do livro, "O diário de um mago" de Paulo Coelho 



Fonte: Google imagens





Organização de Marco A Okuma
para o Blog de MAOSECRETS
maosecrets2012@gmail.com





Postar um comentário
 
Deixe o seu comentário aqui ! A sua opinião é muito importante para nós !
Mas lembre-se: Gentileza gera gentileza !
Serão excluídos sem aviso prévio as ofensas e os comentários que contrariem as leis e a boa moral.